Aquele

Aquele que veio, e quis ficar
Que por medo, teve que partir
Aquele que não soube amar
e por amor, só soube mentir

Esse que, por amor, perdoou
E engoliu, não um, mas vários sapos
Que mesmo sangrando, continuou
E em um mundo solitário, se isolou
O amor ficou, a dor se apossou
Todo o branco, negro tornou
Toda a inocencia, evaporou

O amor, a mentira, a verdade
A perda, a dor, a vaidade
Agora essa é a minha realidade

Lucas, 18 anos. Altos níveis de déficit de atenção e imaginação. Fã de literatura fantástica, café e frio (: Pretende escrever um livro e morar em NYC

Leave a Reply